Exercícios e Técnicas de Música, é só estudar         Cursos  

  Teclas, Cordas, Sopro e Percussão: Gravações   Unis Graduação   Unis Pós-Graduação 

MACRISAN
Música: a arte interminável
Meu Diário
02/04/2020 13h51
Alvo Mais Que a Neve

 

 

Bendito seja o cordeiro
Que na cruz por nós padeceu
Bendito seja o seu sangue
Que por nós ali ele verteu
Eis nesse sangue lavado
Com roupas que tão alvas são
Os pecadores remidos
Que perante seu Deus já estão

Alvo mais que a neve
Alvo mais que a neve
Sim, nesse sangue lavado
Mais algo que a neve serei

Quão espinhosa a coroa
Que Jesus por nós suportou
Oh, quão profundas as chagas
Que nos provam quanto Ele amou
Eis nessas chagas pureza
Para o maior pecador
Pois que mais algo que a neve
O teu sangue nos torna Senhor

Alvo mais que a neve
Alvo mais que a neve
Sim, nesse sangue lavado
Mais alvo que a neve serei

Se nós a ti confessarmos
E seguirnos na tua luz
Tu não somente perdoas
Purificas também ó Jesús
Sim, é de tudo o pecado
Que maravilha de amor
Pois que mais alvo que a neve
O teu sangue nos torna Senhor

Alvo mais que a neve
Algo mais que a neve
Sim, nesse sangue lavado

Mais alvo que a neve serei
Sim, nesse sangue lavado
Mais alvo que a neve serei

 

 

Publicado por MACRISAN
em 02/04/2020 às 13h51
 
02/04/2020 13h50
Músicas de Mário Mascarenhas

 


Mário Mascarenhas: (Cataguases, Nasceu 21 de janeiro de 1929 e Faleceu em 1992) foi um acordeonista e compositor brasileiro.

Iniciou seus estudos de acordeão aos 15 anos de idade, na sua cidade natal. Serviu na Força Expedicionária Brasileira durante a Segunda Guerra Mundial, participando das ações da Força Expedicionária Brasileira na Itália. Durante a guerra feriu-se e foi transferido para os Estados Unidos, onde aprendeu alguns métodos de acordeão e aperfeiçoou seu domínio sobre o instrumento. Morou por três anos nos Estados Unidos, inclusive recebendo certificado pelo aprendizado do acordeão. Também morou por dois anos na Argentina, onde recebeu maiores instruções sobre o instrumento e recebeu outro certificado.

Logo após criou métodos de aprendizagem de acordeão, piano, flauta-doce (principalmente com forma didática para crianças), violão e teclado, além de criar arranjos e coletâneas de obras consagradas, muitas vezes simplificando-as. O modo como seu método é apresentado nas obras varia desde músicas folclóricas brasileiras e estrangeiras, adaptações e cópias de músicas clássicas e eruditas.

Durante a década de 1950, no Brasil, o acordeão foi um instrumento muito popular, devido ao grande sucesso de Luiz Gonzaga; com isso, os métodos de Mário Mascarenhas e suas aulas foram procurados com grande frequência, fazendo com que ele reunisse professores e estudantes de suas academias de acordeão em um concerto de mil acordeões no Teatro Municipal do Rio de Janeiro.

Marcos Valle, Edu Lobo, Gilberto Gil, Roberto Menescal, Eumir Deodato e Francis Hime iniciaram seu aprendizado musical tocando acordeão com Mário Mascarenhas.

Discografia

  • 1958 - Tequila/Yo lo quiero • RCA Victor • 78
  • 1957 - Caprichos de amor/Choro de criança • RCA Victor • 78
  • 1957 - Brasil, jardim do mundo/Espalha brasa • RCA Victor • 78
  • 1956 - O califa de Copacabana/Rapsódia sueca • RCA Victor • 78
  • 1956 - Pedido de casamento/Pássaro azul • RCA Victor • 78
  • 1956 - Tango do desejo/Só com você tenho paz • RCA Victor • 78
  • 1955 - Salomé/Coração de Conchita • RCA Victor • 78
  • 1955 - Um português no Brasil/Polca dos beijos • RCA Victor • 78
  • 1955 - Iara/Salamaleque • RCA Victor • 78
  • 1954 - Amor cigano/Marrocos • RCA Victor • 78
  • 1954 - Carrapicho/O assobiador • RCA Victor • 78
  • 1954 - Festa de aniversário/Eu quero é confusão • RCA Victor
  • 1954 - Deus! Salve o Brasil/Alma cigana • RCA Victor • 78
  • 1953 - Escorregue o pé/Linda guaxiny • Continental • 78
  • 1953 - Vagabundo/Lá vai Maria Fumaça • RCA Victor • 78
  • 1953 - Glórias de toureiro/Ranchinho encantado • RCA Victor • 78
  • 1953 - Briga de marimbondo/Centenário glorioso • RCA Victor •

Fonte: Wikipédia


Livros de Mario Mascarenhas na Amazon

 

 

 

 

Publicado por MACRISAN
em 02/04/2020 às 13h50
 
02/04/2020 13h48
Quando o Dia da Paz Renascer

 

Quando o dia da paz renascer
Quando o Sol da esperança brilhar
Eu vou cantar

Quando o povo nas ruas sorrir
E a roseira de novo florir
Eu vou cantar

Quando as cercas caírem no chão
Quando as mesas se encherem de pão
Eu vou sonhar

Quando os muros que cercam os jardins
Destruídos então os jasmins
Vão perfumar

Vai ser tão bonito se ouvir a canção
Cantada, de novo
No olhar do homem, a certeza do irmão
Reinado, do povo

Quando as armas da destruição
Destruídas em cada nação
Eu vou sonhar

E o decreto que encerra a opressão
Assinado só no coração
Vai triunfar

Quando a voz da verdade se ouvir
E a mentira não mais existir
Será enfim, tempo novo de eterna justiça
Sem mais ódio, sem sangue ou cobiça, vai ser assim

 

 

 

Publicado por MACRISAN
em 02/04/2020 às 13h48
Página 9 de 9
1 2 3 4 5 6 7 8 9